sábado, 4 de outubro de 2014



"Galera", estou lançando hoje a segunda obra de minha autoria, "Paulo Leminski meu Ovo", um tour de force no gênero realismo histórico autobiográfico. Chocado no calor polissêmico e antropofágico de uma tarde de outubro, esse novo petardo cultural agracia o leitor pseudo com os incessantemente, não-requisitadamente compartilhados poemas de P. Leminski, acrescidos de "meu ovo" ao final de cada verso. Você pode baixar nesse link, ppl. 
Espero que toda a subversão do trocadilho de budega ecloda forte em vosso caetaneante coração.

Ternamente seu,
D.

4 comentários:

Tiago Magalhães disse...

Nunca o enfado com a renitente e despudorada ostentação da literatura ligeira e de qualidade duvidosa encontrou tão apropriada expressão. "Meu ovo" assume um novo e já indispensável valor semântico a partir do oportuníssimo uso de sua repetição ubíqua como forma de depreciar os próprios poemetos repetidos ad nauseam nos mais diversos meios.
Esse ovo veio pra chocar e não espero que dele saia algo menos que um Jabuti.

Daniel Liberalino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Liberalino disse...

Caro Tiago,

seus bem delineados períodos adicionam em classe à degeneração anestética geral desta vil, repelente, iníqua baiúca de minha torpe reinação; sê sempre bem-vindo. Honra-me o encômio e folgo em que meu último rebento cloacal tenha-lhe chilreado tão salutar mensagem ao coração. Estimo que coligarás minha próxima contribuição ao cânon literário, resumida no expressivo sintagma: "Freské?", o qual esgota toda a futura crítica possível ao segmento sul-brasileiro da literatura

chico m guedes disse...

um marco!
cesse tudo que a antiga pata punha
que um ovo mais alto se alevanta!