quarta-feira, 14 de maio de 2014

Excerto do Corpúsculo num Plano. Feliz Wesak.

'(...) o Instituto Internacional de Pesos e Medidas cogitou definir o metro, essa fantástica unidade de medida, como o comprimento de sua queda ao tropeçar bêbado diariamente no batente do bar às 3:25 a.m., quando cambaleia de volta para casa. Diz-me que é um ex-cirurgião-dentista viúvo; que sua esposa, tragada pelo turbilhão irresistível do sedentarismo e abuso nutricional pós-marital, dilatara até implodir e se tornar um buraco negro, consumindo em seu avassalador vórtex gravitacional a casa e toda a vizinhança; carros, árvores, vacas, crianças, ruas, prédios – dela nada escapara. “Meu amigo, onde você enxerga um fim, eu vejo um recomeço; uma nova oportunidade”, disse-lhe. “Que quer dizer?”. “Você já tentou falar com ela depois do incidente?”. “Não... eu... Eu não sei bem como lidar com corpúsculos de convergência espaço-temporal...”. “Bem, você podia tentar reatar com ela. Só precisa saber falar com jeito. Fale com esse cara, ele sabe tudo sobre buracos negros”. Escrevi o nome ‘Stephen Hawking’ num pedaço de papel. “Obrigado. Como posso agradecer? Deixe-me pagar uma bebida”. “Sim. Tudo bem. Ando precisando de algo melhor que sangue em minhas veias”. Sem conversar seguimos, passo a passo, entre as formigas, vendo as almas convalescentes das enfermeiras prostradas e incapazes de erguer o corpo lasso. Seriam seus bustos siliconados com um novo metal, de massa atômica superior?, ocorria-me. Ouvindo esses ruídos distantes; indiferentes aos chamados suplicantes, o chão trepidava; o ruído e o fluxo distante; as silhuetas fracionadas de fantasmas anônimos acelerando até a colisão, em um sonho indistinto, buzinando espectralmente além da membrana da existência.

Bebemos a noite inteira, numa taverna antagônica à vida baseada em carbono, onde psicopedagogas ovulantes e talk-show hosts intuicionistas browerianos encontravam-se a cada solstício de inverno para o imemoral ritual de cortejo centrado no bukkake, esse fascinante legado da punição medieval que instancia a relação afetiva do swing com cumshot, R(x,y) = “x ejacula na face de y”, numa função constante “x ejacula na face de c”, tal que x é todo concidadão motumbo produtor de mingau e c é uma meretriz dissoluta. O cumshot monogâmico pode ser destarte interpretado como um bukkake com domínio unitário e, similarmente, cumshots com parceiros monogâmicos distintos, no transcurso da vida afetiva de uma potrinha sapeca standard, configuram um bukkake serial. Às 3:25 saímos e ele tropeçou, com agressiva pontualidade, aquele fregeano magnificente. Entoamos velhos cânticos gaélicos, sob o céu nas ruas estreitas, como os sucessos “O que você fez com a minha aspirina, Jacó?”, “Implicações forenses da auto-inserção uretral como mesura alternativa” , “Aspectos psico-sociais da insônia entre divorciados”, “Seus pêlos pubianos danificaram o meu barbeador elétrico, cortesã licenciosa” e “A remoção do meu testículo esquerdo trouxe danos à minha vida conjugal”. Aproximadamente 100 bilhões de estrelas eram o nosso público aquela noite fria e contigencial, naquela instanciação randômica de Praga. Esgueiravam-se pela cidade os Hlodavci, Jejichž Záliba Barbarství Není a Priori Vyloučeno (Roedores cuja Inclinação à Selvageria Não É, a Priori, Inconcebível), assessores de imprensa descontrolados sondando a área como implacáveis lobos de Gutenberg, farejando o medo no rastro dos Domov a Zničení, os clubbers agoráfobos do subúrbio. Por um momento, compreendi a mania de perseguição de um escritor chamado Franz Kafka. E, quando já fraquejávamos, perdidos numa encruzilhada apenas parcamente iluminada por uma lâmpada fraca que falhava, uma pequena fada madrinha apareceu e, com um passe de mágica, nos imunizou contra a varíola.

Eu me tornei mais e mais consciente dos efeitos nocivos de certas comidas industrializadas. Do excesso de conservantes; do excesso de substâncias cardiopáticas e cancerígenas. E agora, escolhendo na prateleira do supermercado a combinação certa de produtos que ocasionem o menor risco à minha próstata, sou preenchido por essa sensação de completude; de eternidade. Era um novo portal para a transcendência. Eu alcancei o nirvana. À noite, recebo uma ligação de Buda. Ele me parabeniza e me convida para a festa de lançamento do seu romance sobre sprays bronzeadores, mas sua mansão é invadida pela máfia siciliana e ele é fuzilado. Sua cabeça, atirada dentro de um vulcão, em rede nacional; seu corpo, doado para uma conhecida fábrica de biscoitos. Sua alma, dissolvida em um barril de fezes, suco gástrico, ácido butenodióico, gasolina, escorrência menstrual, ketchup e muco. Em vão tentara esquecer a convoluta solidão do seu peristaltismo retal. Minha clareza uma nuvem de estática, uma cintilação na neblina que turva a várzea'

Nenhum comentário: